I JORNADA VEROUVINDO
De 26 a 28 de abril de 2019 | Recife, Pernambuco

A I Jornada VerOuvindo reúne atividades formativas como masterclasses, oficinas e comunicações orais, e acontece durante a quinta edição do VerOuvindo – Festival de Filmes com Acessibilidade Comunicacional do Recife, um projeto incentivado pelo Funcultura, pela Fundarpe, e pelo Governo do Estado de Pernambuco, e realizado pela Com Acessibilidade Comunicacional. De 26 a 28 de abril de 2019, as atividades formativas terão o intuito de fazer as três acessibilidades comunicacionais (audiodescrição, Libras e LSE) dialogarem no campo da técnica e da estética.

INSCRIÇÕES ONLINE:
Clique aqui para realizar inscrição

ATIVIDADES:
MASTERCLASS: Pensando o cinema como inclusão com Jeorge Pereira (PE)
Dia 26/04, 9h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby

Sobre a masterclass:
O que é uma narrativa inclusiva? Como pensar e escrever um roteiro que pense em inclusão? Como construir uma sonoridade que nos coloque, a todos, cada vez mais dentro de uma narrativa visual? A masterclass pretende pensar sobre narrativas audiovisuais inclusivas a partir dos recursos já existentes na linguagem, utilizando ferramentas que despertam o imaginário particular e a estimulação sensorial.

Sobre o ministrante:
Jeorge Pereira é graduado em Cinema de Animação, trabalhou com educação em audiovisual durante anos lançou em 2002 um livro de contos, intitulado Lentagonia. Trabalhou como artista 3D e co-roteirista do curta de animação O Ex-Mágico. Foi roteirista do documentário Ventos do Brasil e atuou como Diretor Assistente no filme Recife Assombrado. Foi diretor e roteirista do longa-metragem de ficção “Organismo” que será lançado nacionalmente no circuito comercial de cinemas em abril.

– MASTERCLASS: Legenda para surdos e ensurdecidos no audiovisual: por entre colchetes e notas musicais com Flávia Machado (SP)
Dia 26/04, 11h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby

Sobre a masterclass:
Para além dos códigos verbais, a Legenda para surdos e ensurdecidos (LSE) é caracterizada por traduzir os códigos não verbais de conteúdos audiovisuais. Traremos para discussão as diferentes formas para identificação de falantes, modos de fala, descrições de sons e efeitos sonoros, qualificação de trilha sonora e outros elementos que podem aparecer por entre os colchetes e notas musicais.

Sobre a ministrante:
Entusiasta da Acessibilidade Comunicacional, Flávia Machado é graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), em 2008, e mestra em Televisão Digital também pela UNESP, em 2011. Desde 2012, atua na coordenação do Setor de Acessibilidade da TV Aparecida. Em 2015 e 2016, participou da Comissão de Estudo para a revisão da norma ABNT NBR 15290 que versa sobre acessibilidade na TV. Em 2017, começou a empreender em uma nova forma de promover acessibilidade com a “Tela Acessível”. Em 2017 e 2018 fez parte da equipe de produção de legenda descritiva dos filmes do Projeto Alumiar.

– MASTERCLASS: Consultoria em audiodescrição com Elizabet Dias de Sá (MG)
Dia 28/04, 9h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby

Sobre a masterclass:
A masterclass abordará os principais desafios da consultoria em audiodescrição com destaque para os seguintes aspectos: percurso e avanços na prática da consultoria; AD informativa x AD interpretativa; relevância, consistência e redundâncias em um roteiro de AD; uso da língua portuguesa e da linguagem cinematográfica; e armadilhas que podem nos tornar reféns dos roteiristas.

Sobre a ministrante:
Elizabet Dias de Sá é professora da rede municipal de ensino de Belo Horizonte, onde exerce a função de coordenação do Centro de Apoio Pedagógico Para o Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual. É psicóloga e especialista em filosofia pela UFMG. Tem especialização em psicologia educacional pela PUC/MG e pós-graduação em audiodescrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora/MG. Como trabalho de conclusão de curso, em 2014, desenvolveu o projeto de pesquisa “A prática da consultoria em audiodescrição”. Participou do júri técnico das edições da mostra competitiva de filmes com audiodescrição do Festival VerOuvindo, em Recife, em 2016 e 2017. Atua como consultora em audiodescrição, sendo criadora e coordenadora do coletivo de consultores.

– OFICINA: Produção de Janela de Libras para cinema com Carlos Oliveira e Alessandro Vasconcelos (PE)
Dia 27 e 28/04, 9h às 12h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby

Sobre a oficina:
A oficina abordará os aspectos teóricos e técnicos na produção da Janela de Libras (JL), desde o estudo do roteiro até a edição e finalização. Perpassando pelo papel do tradutor e do consultor de Libras, este último, profissional que emerge no contexto da acessibilidade, para garantir a qualidade da Tradução e a presença da comunidade surda na construção de um produto que será consumido pelos próprios surdos. A oficina terá atividades práticas que requer o uso do notebook dos participantes. Os participantes irão simular a produção de uma JL, envolvendo os papéis de tradutor, consultor e produtor. As atividades serão desenvolvidas dentro e fora de sala de aula.

Sobre os ministrantes:
Carlos Oliveira – Mestrando em Educação Profissional e Tecnológica pelo IFES/IFPE. Especialista em Língua Brasileira de Sinais (Libras) pela UNIVERSO (2017). Graduado em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE (2013). Possui Proficiência em Tradução e Interpretação da LIBRAS/Língua Portuguesa/LIBRAS e Proficiência no Ensino da LIBRAS, ambos certificados pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Atualmente é Tradutor/Interprete do Instituto Federal de Pernambuco – IFPE.

Alessandro Vasconcelos – Graduado em Logística pela Faculdade dos Guararapes (2014), e laureado na Licenciatura Letras/Libras pela Universidade Federal de Pernambuco (2018). Pós-graduando em Libras e Educação Inclusiva de Pessoa Surda da Faculdade Alpha. Atualmente é professor substituto da UFPE, professor/instrutor de Libras e Consultor de Libras para Cinema.

– PAINEL: Acessibilidade Audiovisual
Dia 26/04, 14h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby
Mediação: Flávia Machado (SP)

Comunicações orais:
– A nuance interpretativa da locução na audiodescrição // Ligia Maria Ribeiro (SP)
– Adeilda // Jaqueline Martins (PE)
– Análise de Lexias “Tabus” na audiodescrição de imagens estáticas de sexo explícito no filme A História da Eternidade // Felipe Vieira Monteiro (RJ)
– Estudo da audiodescrição em inglês de filmes a partir das diretrizes do ITC Guidance on – Standards for Audio Description // Rodrigo Wenzel (SP)
– Experimentação Acessível no Documentário Mulheres de Visão // Milena Andrade da Rocha (PI)
– Produção Cultural com conhecimento de causa – O Cineclube Inclusivo // Felipe Hidalgo (PE)
– Que som é esse? – A Tradução de Sinais Acústicos Não-verbais na LSE // Eliana Franco (SP/ALE)
– Tela livre: questões técnicas na produção de janela de Libras em estúdio de gravação // Carlos Eduardo de Oliveira (PE)
– Traduzir audiodescrição: prós e contras // Ana Julia Perrotti Garcia (SP)

– PAINEL: Audiodescrição além do audiovisual
Dia 27/04, 10h, Fundação Joaquim Nabuco/Derby
Mediação: Liliana Tavares (PE)

Comunicações orais:
– A contribuição da pessoa com deficiência visual para todas as etapas da produção de AD // Luiz Henrique Kichel, Rafael Nimoi Gomes Cardoso e Ana Julia Perrotti Garcia (SP)
– AD sem e com emoção // Marcia Caspary (SC)
– Audiodescrição de cartuns e charges à luz da gramática do design visual // Deise Medina (BA)
– Audiodescrição no Sambódromo // Barcellos, V.M. M. F. S. L. (RJ)
– Olhos de emoção, ouvidos de fantasia: produção de audiolivro para estudantes cegos // Glaucio Ramos (PE)

OUTRAS INFORMAÇÕES:
– Todas as atividades são gratuitas e terão certificado para os participantes.
– Todas as atividades terão audiodescrição e Libras.

ENDEREÇOS:
– Fundação Joaquim Nabuco/Derby
Rua Henrique Dias, 609, Derby, Recife, Pernambuco

rodapé