Sobre

O Festival

A sétima edição do VerOuvindo é um convite ao refúgio. Uma bolha, uma cápsula protetora, um laboratório de vivências e de afetos. Como num sonho, o cinema é um lugar de realização de desejos, um espaço de suspensão da realidade, cheio de significados. Talvez, o sétimo VerOuvindo funcione como um mecanismo de defesa diante de toda a angústia vivida hoje, mais fortemente por causa da pandemia, da guerra, do conflituoso momento político no Brasil, e do sofrimento causado pelos temporais em várias cidades do Nordeste, principalmente aqui no Recife.

Durante uma semana, vamos nos encontrar de forma híbrida, estilo de programação que veio para ficar. Tudo acontecerá com intensidade, sobretudo para quem estiver, presencialmente, na sala de cinema, na jornada VerOuvindo e nas atividades paralelas. Uma das novidades deste ano é que haverá uma sessão no Agreste, na cidade de Caruaru, reforçando a iniciativa de interiorizar cada vez mais o festival. Outra novidade será uma sessão externa, no vão do Centro Cultural Cais do Sertão, com a intenção de surpreender os frequentadores do espaço e disseminar o cinema acessível.

No ano passado, recebemos o Voto de Aplausos da ALEPE – Assembleia Legislativa de Pernambuco, mais um reconhecimento que é fruto do trabalho em equipe e da convivência com o público, que se concretiza graças ao incentivo do Funcultura, do SIC – Sistema de Incentivo à Cultura, Fundação de Cultura Cidade do Recife, Secretaria de Cultura, Prefeitura da Cidade do Recife e de nossos parceiros e apoiadores.

Agora, é se preparar para o encontro com um time de especialistas do campo da acessibilidade comunicacional, com uma equipe de profissionais da Libras, da audiodescrição, da legenda e da linguagem cinematográfica; com um grupo de alunos da área da comunicação e da tradução; e principalmente com o público, razão primeira de toda esta realização.

 

Liliana Tavares
Idealizadora e coordenadora